Mosteiro de Singeverga
Pax!

A fonte da Vida

A base do desenho foi definida a partir dos traços que já se encontram no vosso claustro, no qual se vislumbra um prisma regular num posicionamento central. Defini que seria aí nesse lugar, sem alterar nada do existente, que haveria de irromper um volume, alvo de tons brancos.
Esse volume traria ao claustro o símbolo máximo da fonte da vida, a água, que teria que traduzir um som musical leve e dedicado. Uma sinfonia que a natureza oferece.
Esse pressuposto da origem da vida está em Cristo, daí que tenha sido recriada a cruz de Cristo no centro desta fonte. Para além da vida que a água alimenta, Cristo também é Luz. Daí a matéria reluzente que se evidencia na reflexão dos raios solares sobre o dourado.
A água nasce nesta cruz centralizada e irradia-se através de um grande prisma cúbico ao qual se retirou um volume cilíndrico que contém a água... Mas a fonte da vida não pode ser contida e por isso ela liberta-se em canais que fazem chegar essa vida até cada um de nós.
A todos os irmãos agradeço por terem permitido que desenhasse esta fonte, onde a matéria ganha a dimensão do significado máximo da vida: a Fé. Só assim se entende que tantas toneladas de pedra pareçam leves, tanto que até levitam sobre a água.

Ricardo Azevedo - Arquitecto

IMG_4128
IMG_4126

IMG_4132


IMG_4214